20 anos do Penta: relembre os detalhes da campanha do Brasil na Copa do Mundo 2002

PUBLICIDADE

O pentacampeonato da Seleção Brasileira completa 20 anos hoje. Foi em um dia 30 de junho que milhões de brasileiros acordaram cedo para prestigiar e comemorar a conquista histórica da Copa do Mundo de 2002, disputada na Coreia do Sul e no Japão. Do primeiro jogo contra a Turquia, ainda pela fase de grupos, até a grande final diante da forte Alemanha, o Brasil passou por momentos de desconfiança e muita emoção.

Comandado por Luiz Felipe Scolari na beira do gramado e pela dupla Ronaldo e Rivaldo dentro de campo, o Brasil fez história ao ser a primeira seleção pentacampeã da Copa do Mundo e até hoje a única com cinco estrelas. Antes disso, no entanto, a Seleção Brasileira chegou ao Mundial desacreditada. Isso porque as Eliminatórias para 2002 não foram fáceis. Os brasileiros tropeçaram em alguns jogos e só conseguiram conquistar a classificação na penúltima rodada.

Chegando ao Mundial, as atenções estavam voltadas para Ronaldo, que jogava pela Internazionale e havia passado por cirurgias no joelho pouco tempo antes da competição. Outros nomes como Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho e Roberto Carlos, além do capitão Cafu, também foram destaques na época. Na fase de grupos, o Brasil não sofreu sustos e, aos poucos, foi recuperando a confiança dos torcedores, com vitórias sobre Turquia, China e Costa Rica.
A dupla Ronaldo e Rivaldo já demonstrava entrosamento desde o início, balançando as redes em todos os jogos da primeira fase. Foram sete gols anotados, quatro para o atacante e três para o meia. Assim, a Seleção Brasileira avançava para o mata-mata enfrentando mais um teste de maior resistência no confronto contra a Bélgica, quando a dupla voltou a funcionar. Cada um marcou uma vez para colocar o Brasil nas quartas de final diante da Inglaterra.
Foi aí que outro Ronaldo chamou a responsabilidade. Dessa vez o Gaúcho. Em um jogo truncado, os ingleses saíram na frente do placar depois de uma falha do zagueiro Lúcio. O talento de Ronaldinho, no entanto, se sobressaiu diante dos adversários. O meia-atacante, na época no PSG, deu a assistência para Rivaldo empatar, e marcou um golaço de falta na intermediária, garantindo a classificação do Brasil. Mas afinal, o gol foi proposital ou ele tentou o cruzamento?
Dúvidas como essa permanecem 20 anos depois, mas a certeza é o quão marcante a Copa do Mundo de 2002 foi para os brasileiros. Na semifinal, o Brasil voltou a enfrentar a Turquia. Assim como na fase de grupos, a vitória veio em um novo placar, dessa vez o mínimo, mas o suficiente para colocar a seleção canarinho na final. Diante da Alemanha, Ronaldo não temeu o enjoado goleiro Oliver Kahn, marcou os dois gols e garantiu o título para o capitão Cafu erguer a taça.
Passados 20 anos da conquista histórica, fica a reflexão do quanto o futebol mudou. Os europeus avançaram técnica e taticamente e acabaram deixando os sul-americanos para trás em números de títulos mundiais. A Copa do Mundo de 2002 foi a última vencida por uma seleção da América do Sul. Na ocasião, os sul-americanos tinham nove títulos contra oito europeus. Depois disso, as seleções da Europa ganharam as últimas quatro copas, “virando o placar” para 12 a 8. Duas décadas depois, a Seleção Brasileira tenta conquistar o tão sonhado hexa.

Campanha do Brasil na Copa do Mundo 2002

Primeira fase – Grupo C
Brasil 2×1 Turquia (Gols de Ronaldo e Rivaldo)
Brasil 4×0 China (Gols de Roberto Carlos, Rivaldo, Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo)
Brasil 5×2 Costa Rica (Gols de Ronaldo 2x, Edmilson, Rivaldo e Júnior)

Oitavas de final
Brasil 2×0 Bélgica (Gols de Rivaldo e Ronaldo)

Quartas de final
Brasil 2×1 Inglaterra (Gols de Rivaldo e Ronaldinho Gaúcho)

Semifinal
Brasil 1×0 Turquia (Gol de Ronaldo)

Final
Brasil 2×0 Alemanha (Gols de Ronaldo 2x)

Resumo da campanha:
Jogos: 7
Vitórias: 7
Empates: 0
Derrotas: 0
Gols pró: 18
Gols contra: 4
Saldo de gols: 14
Artilheiro: Ronaldo (8 gols)

Elenco

Goleiros: Marcos (Palmeiras), Dida (Corinthians) e Rogério Ceni (São Paulo);
Zagueiros: Edmílson (Lyon), Roque Júnior (Milan), Anderson Polga (Grêmio) e Lúcio (Bayer Leverkusen);

Laterais: Cafu (Roma), Beletti (São Paulo), Roberto Carlos (Real Madrid) e Júnior (Parma);
Volantes: Vampeta (Corinthians), Kléberson (Athletico), Gilberto Silva (Atlético-MG),
Meias: Rivaldo (Barcelona), Ricardinho (Corinthians), Juninho Paulista (Flamengo) e Kaká (São Paulo);
Atacantes: Ronaldo (Internazionale), Ronaldinho Gaúcho (PSG), Denílson (Betis), Luizão (Grêmio) e Edilson (Cruzeiro)
Técnico: Luiz Felipe Scolari (Felipão)

Time-base: Marcos; Lúcio, Edmílson e Roque Júnior; Cafu, Gilberto Silva, Kléberson e Roberto Carlos; Rivaldo, Ronaldinho e Ronaldo.

Quantidade de jogos:

7 – Marcos, Lúcio, Cafu, Gilberto Silva, Rivaldo e Ronaldo
6 – Edmílson, Roque Júnior e Roberto Carlos
5 – Kléberson, Ronaldinho Gaúcho e Denílson
4 – Juninho Paulista e Edílson
3 – Anderson Polga e Ricardinho
2 – Luizão
1 – Beletti, Júnior, Vampeta e Kaká
Nenhum – Dida e Rogério Ceni

DO ESPORTES DP. Foto: Fifa

PUBLICIDADE