Alexandre Mirinda parabeniza o governador Paulo Câmara pelo retorno do Todos com a Nota e critica ausência da FPF

PUBLICIDADE

O empresário e candidato à presidência da FPF, Alexandre Mirinda, parabenizou o governador do Estado, Paulo Câmara, e o secretário Executivo de Esportes do Governo, David Oliveira, bem como os presidentes do Sport, Náutico e Santa Cruz, pelo retorno do programa Todos com a Nota.

Os torcedores pernambucanos e os próprios clubes vinham cobrando a volta do Todos com a Nota, o que acabou acontecendo este ano.

“Com o retorno do programa, os clubes voltarão a ter uma renda certa de bilheteria por jogos e o que irá ajudar a fechar as contas no final do mês. Além de poder contar com a presença maciça do torcedor em seus estádios”, disse Mirinda.

“A volta do programa também fazia parte dos meus projetos como candidato à presidente da FPF. Sempre fui um apoiador do Todos com a Nota por reconhecer a importância dele para o nosso futebol. Então, fiquei extremamente feliz ao saber que o governador Paulo Câmara sancionou uma nova versão do projeto. Tenho certeza que o futebol pernambucano irá ganhar muito com isso, bem como o torcedor que fará a sua parte e voltará aos estádios em maior número”, complementou.

Mirinda também fez questão de criticar a atual gestão da FPF pela falta de apoio aos clubes. “O que acontece, atualmente, é que os clubes pagam pra jogar. Não há vantagem alguma fazer parte de algum campeonato promovido pela federação, principalmente os jogos realizados no interior. Os clubes gastam com taxa de delegado de jogo, ambulância, arbitragem, médicos, fora a inscrição dos atletas para participar dos campeonatos. Este ano, porque a entidade sabe que há um concorrente ao pleito, resolveram arcar com alguma despesas, mas isso nunca antes foi feito. Os clubes sempre pagaram para jogar”, revelou.

O empresário também não poupou críticas à FPF pela ausência de um representante nas reuniões que foram realizadas para definir a volta do programa.

“É inacreditável que a Federação não tenha enviado nenhum representante para esses encontros que definiram a volta do Todos com a Nota. Não podemos continuar brincando de fazer futebol, precisamos ter um representante legítimo para defender os nossos clubes e as cores do nosso Estado”, finalizou.

PUBLICIDADE