Náutico e Sport fazem clássico de extremos em busca de reação na Série B

PUBLICIDADE

Por toda a história envolvida, o confronto entre Náutico e Sport vale muito por si só. Mas o Clássico dos Clássicos deste sábado, no estádio dos Aflitos, traz contextos na Série B que incrementam ainda mais o duelo entre rivais. A bola rola às 18h30 pela 13ª rodada da competição.

As equipes vivem extremos na Segundona. O Alvirrubro aparece na zona de rebaixamento, enquanto o Rubro-negro figura no G4. E ambos entram em campo pela saída da incômoda degola ou manutenção no grupo qualificatório à elite.

Atualmente, o Timbu é 18º colocado, com 12 pontos, mas uma vitória simples o tira da zona de rebaixamento. Isso porque a Chapecoense já entrou em campo rodada, além de que CRB e Ituano – concorrentes diretos – se enfrentam.

Já o Leão está em quarto lugar, com 19 pontos. Em caso de empate, pode ser ultrapassado pelo Grêmio, que tem 18 e recebe o Sampaio. Caso seja derrotado, existe a possibilidade de perder a posição também para o Criciúma, que vem logo depois, com 16.

Náutico e Sport: busca por reação
Na degola, o Alvirrubro não vive boa fase. Nas últimas oito partidas, por exemplo, venceu apenas uma – contra o Brusque, fora de casa. O panorama atual da Segundona traz duas derrotas consecutivas (contra Sampaio Corrêa e Vasco).

O Rubro-negro, por sua vez, já viveu dias melhores, apesar de estar no G4. Nos últimos cinco jogos, possui apenas uma vitória. Indo para o terceiro jogo no tido “corredor polonês”, não sabe o que é vencer diante dos jogos de maior parte: recentemente perdeu para o Bahia em Salvador e empatou com o Grêmio no Recife.

Reforço do Náutico para a disputa da Série B, Geuvânio ainda não estreou, mas nesta semana concedeu entrevista coletiva e já entrou no clima do clássico ao projetar o duelo contra o Sport.

“Acredito muito na parte mental, acho que é fundamental. Vai chegar um momento do jogo que se estivermos equilibrados em campo, vai prevalecer. Clássico é detalhe, se nos apegarmos a isso e tivermos regularidade ficamos perto da vitória. Temos condições de sair com a vitória, o grupo é bom, unido e tem jogadores que podem fazer a diferença”, disse o jogador.

Já o meia leonino, Giovanni, destacou o peso de um confronto como o Clássico dos Clássicos. Curiosamente, ele já passou pelo Náutico, há cinco temporadas.

“É um jogo diferente, que todos os jogadores gostam de jogar pela atmosfera que é criada ao longo da semana, mas temos convicção no nosso trabalho das coisas que estamos fazendo e das nossas estratégias durante o jogo. Nossa equipe está bastante confiante desde o começo da competição no G4. Sabemos que vai ser um jogo muito difícil, mas confiamos no nosso elenco e que possamos sair com a vitória no estádio do adversário”, afirmou o atleta.

Náutico e Sport: cenário do Clássico dos Clássicos
Náutico
Posição atual: 18º colocado
Distância para deixar o Z4: 1 ponto (depende apenas de si)
Retrospecto recente: 1 vitória nos últimos 8 jogos
Aproveitamento: 3V, 3E e 6D (33%)
Sport
Posição atual: 4º colocado
Distância para fora do G4: 1 ponto
Retrospecto recente: 1 vitória nos últimos 5 jogos
Aproveitamento: 5V, 4E e 3D (52%)

Do NE45

PUBLICIDADE