Sport recebe resposta sobre arbitragem na final da Copa do Nordeste, mas discorda e vai à CBF

PUBLICIDADE

O Sport divulgou, no início da tarde desta segunda-feira, que recebeu uma resposta da CBF acerca da atuação da arbitragem na final da Copa do Nordeste, diante do Fortaleza, no Castelão, no último dia 3 de abril. Mas ‘discordou veementemente’ e tem agendada uma viagem à sede da CBF, no Rio de Janeiro, para discutir o assunto.

Logo após a perda do título, a diretoria leonina havia solicitado à entidade os áudios da arbitragem, que foi bastante contestada pelo Sport na ocasião. E eles devem ser disponibilizados ao Rubro-negro.

“O pedido, portanto, deve ser atendido, com observância das possibilidades técnicas que os órgãos responsáveis dispõem”, diz a ouvidoria da CBF.

O clube reclama de quatro lances: jogadas sobre Javier Parraguez, no primeiro tempo, além de Sander e pedido de mão, na etapa complementar – todos seriam pênalti. Fora eles, ainda há reclamação acerca da queda de energia e campo encharcado no fim do jogo.

As explicações da entidade ocorreram através de ofício, mas ainda ficaram pendentes as conversas dos arbitragens, alega o clube. Assim, o presidente Yuri Romão e o vice de futebol, Augusto Carreras, irão viajar nesta semana para ‘maiores esclarecimentos’.

Outro tema a ser questionado pelo clube, ainda de acordo com a nota divulgada, será em relação à arbitragem da partida contra o Guarani, no último sábado, pela Série B. O Sport contesta lance de pênalti em Parraguez, no segundo tempo.

“O Sport Club do Recife acredita que lances como esses não podem passar despercebidos, principalmente com o auxílio de uma nova tecnologia, o VAR, que não vem cumprindo seu objetivo na totalidade, que é de minimizar erros capitais”, diz o clube em trecho do comunicado.

Nota do Sport sobre ofício da CBF em relação à arbitragem na final: 

O Sport Club do Recife recebeu o ofício da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) com o retorno sobre a representação feita junto à entidade após os inúmeros erros de arbitragem da final da Copa do Nordeste 2022, na Arena Castelão, no último dia 3 de abril. Diante da conclusão do documento, que está na íntegra no corpo desta matéria, o Clube discorda veementemente da resposta dada pela Comissão de Arbitragem.

O Leão também reafirma que, apesar da liberação dada por meio do ofício, ainda não recebeu os áudios proferidos entre o árbitro e o VAR durante o jogo e, com isso, estará indo à Sede da entidade nesta semana, no Rio de Janeiro, com seu Presidente Executivo, Yuri Romão, e o Vice-Presidente de Futebol, Augusto Carreras, para maiores esclarecimentos.

Além de procurar as explicações sobre a final, o Clube viaja para debater sobre mais uma penalidade não-marcada, desta vez pelo Campeonato Brasileiro Série B, no último sábado (16), no estádio Brinco de Ouro da Princesa, na partida contra o Guarani. Na ocasião, o atacante Búfalo foi derrubado claramente dentro da área e o juiz em campo não marcou como também não consultou o VAR no lance.

O Sport Club do Recife acredita que lances como esses não podem passar despercebidos, principalmente com o auxílio de uma nova tecnologia, o VAR, que não vem cumprindo seu objetivo na totalidade, que é de minimizar erros capitais.

DO NE45

PUBLICIDADE