Campeão sergipano, português Daniel Neri consegue 3º estadual seguido no Nordeste

PUBLICIDADE

São poucos os portugueses que entendem tanto de levantar taça no Brasil quanto Daniel Neri. O treinador do Sergipe viu seu time garantir, neste sábado, o título do Sergipano. Esse é o 3º estadual seguido do Mister no futebol nordestino, sendo, inclusive, campeão vigente em Sergipe e no Maranhão.

O título do Campeonato Sergipano veio em uma final de 180 minutos contra o Falcon, com vitória colorada por 2×1 na ida, na última quarta-feira, e empate em 1×1 neste sábado.

Com isso, ele se tornou o segundo treinador estrangeiro a ser campeão estadual pelo Sergipe. antes dele, o argentino Juan Cely já havia levantado os títulos de 1964, 1982 e 1984.

Além do Colorado, o hermano também venceu estaduais por CRB, Propriá, Itabaiana, Largarto, Olímpico de Itabaianinha e Confiança, somando 11 Sergipanos, uma 2ª Divisão Sergipana e um 1º turno do Alagoano, além de ter dois Pernambucanos pelo Sport, como jogador.

A campanha do Sergipe
Ao todo, a campanha do Gipão teve 14 partidas, com oito vitórias, quatro empates e duas derrotas. Mas Daniel Neri não fez toda essa campanha. O luso assumiu o time no dia 18 de fevereiro, assumindo o cargo após a saída de Elias Borges.

Desde então, o clube fez 15 jogos entre Sergipano, Copa do Brasil e Copa do Nordeste, com seis vitórias, dois empates e sete derrotas. Contando só o Estadual, ele esteve em 10 jogos partidas, com seis vitórias, dois empates e duas derrotas – foram 20 gols marcados contra seis sofridos.

Os títulos de Daniel Neri no Nordeste
Natural de Amarante, cidade do norte de Portugal, próximo a Porto, Neri chegou ao futebol nordestino há quase 10 anos, ainda em 2013. Na época, ele foi contratado para comandar o time sub-20 do Porto de Caruaru-PE, chegando a assumir o time principal do tricolor antes de sair do Agreste pernambucano.

De lá, ele foi para o Sport, também nas categorias de base. Na Ilha do Retiro, ele esteve entre 2014 e 2017, passando pelas categorias sub-17, sub-19 e sub-20. Ele começou a temporada 2018 no Flamengo de Arcoverde, mas foi desligado antes do fim do Pernambucano.

Depois, Neri só voltaria a assumir um clube na Série D de 2019, iniciando uma vitoriosa passagem pelo Salgueiro. No clube sertanejo, ele passou quase dois anos e levantou a taça do Campeonato Pernambucano, até então inédita para clubes de fora do Recife.

No ano seguinte, na reta final do Estadual, ele recebeu uma proposta do Sampaio Corrêa e deixou o Salgueiro. Foram apenas quatro partidas no comando do Tricolor de São Pantaleão, com dois empates na semifinal do Maranhense e duas vitórias nas partidas da decisão, selando o título.

Mesmo invicto e com o título do Estadual, o treinador foi surpreendentemente demitido. Ainda no ano passado, ele teve uma breve passagem no América-RN, durante a disputa da Série D.

Esse foi o seu último trabalho antes da chegada a Aracaju, com a honra de títulos seguidos em dois importantes estaduais do Nordeste, em uma célebre lista que é ampliada neste sábado.

Do NE45. Foto: Antônio Moraes

PUBLICIDADE