FPF determina torcida única nos estádios de Pernambuco; medida vale para clássicos e jogos com equipes de outros estados

PUBLICIDADE

Após a confusão de torcedores antes da partida entre Náutico e Campinense, pela Copa do Nordeste, a Federação Pernambucana de Futebol (FPF), por meio do presidente Evandro Carvalho, decidiu proibir a entrada de torcidas visitantes nos estádios de Pernambuco. A medida é válida para jogos com equipes de outro estado, assim como para os clássicos pelo estadual. A restrição será posta em prática já no próximo sábado, no duelo entre Sport e Náutico, na Ilha do Retiro, pelo Nordestão.

“De minha parte, está absolutamente consolidado (torcida única). Ainda estou tomando questões mínimas, inclusive eu tenho que informar à SDS, ao secretário Humberto Freire. Tem alguns detalhes técnicos junto à Liga do Nordeste e à CBF, mas está tudo encaminhando […] Acredito que nós vamos resolver isso, porque efetivamente só ocorre quando envolvem Náutico, Sport e Santa Cruz e torcidas de times visitantes coligadas”, revelou Evandro Carvalho, em entrevista exclusiva à Rádio Clube.

“Quando Santa Cruz, Sport e Náutico jogarem com equipes de fora do estado, na Copa do Nordeste, teremos torcida única para evitar o que aconteceu com a torcida do Campinense, que se reuniu com remanescentes de uma torcida organizada já extinta do Sport e gerou todo aquele problema. Jogarão apenas com a sua torcida”, declarou o mandatário da FPF.

Em relação aos jogos do Campeonato Pernambucano, Evandro Carvalho estendeu a restrição de público somente para os clássicos entre Sport, Santa Cruz e Náutico. De acordo com o presidente, as partidas com as equipes “intermediárias” não entram na pauta da proibição, pelo menos por enquanto.

“(A decisão) é também para o Pernambucano, nos clássicos que tivermos Santa Cruz, Sport e Náutico em confronto. Se o jogo for no Arruda, só irá torcida do Santa. Se for nos Aflitos, só irá torcida do Náutico. Se for na Ilha, só irá torcida do Sport. Não haverá espaço reservado, nem venda de ingressos para torcida do time adversário nos clássicos pelo estadual”, explicou Evandro, que diz ter dado um voto de confiança para os embates de menor porte.

“Por enquanto, estamos dando esse voto de confiança e monitorando. Por exemplo, o jogo entre Sport e Sete de Setembro foi tranquilo, assim como o jogo entre Náutico e Íbis. Eu não vejo, no momento, necessidade de penalizar algumas camisas, porque fica muito claro que o problema é apenas entre Náutico, Sport e Santa Cruz. Não existe penalização nenhuma para times do interior”, disse.

Por fim, o comandante do futebol pernambucano pontuou que o grande problema consiste nos dissidentes de torcidas organizadas do Trio de Ferro, já que, na sua visão, eles são os grandes responsáveis pelas confusões, seja dentro ou fora dos estádios. “O problema é Sport, Náutico e Santa Cruz. São os remanescentes de torcidas extintas que se juntam a torcedores de outras equipes de fora do estado e provocam esse tumulto”, concluiu.

Do Esportes DP

PUBLICIDADE