Náutico engata maior sequência invicta desde o retorno aos Aflitos

PUBLICIDADE

Quando chegou ao Náutico, em novembro do ano passado, Hélio dos Anjos encontrou um time desestruturado dentro de campo e que estava afundado na zona de rebaixamento da Série B do Campeonato Brasileiro. Diante de um cenário desfavorável, o então recém-contratado comandante alvirrubro estabeleceu uma premissa para a sua equipe: pontuar o máximo possível em casa.


Assim cumpriu-se no decorrer da Série B do Campeonato Brasileiro. Nos nove jogos no Recife restantes, o Aflitos se tornou uma fortaleza e o Timbu triunfou em seis partidas e empatou o restante. Os 21 pontos, além de importantíssimos para o Alvirrubro se safar do rebaixamento à Terceirona, ajudou ao time da Rosa e Silva a moldar um status de soberania em seus domínios.

Afinal, são 19 jogos de invencibilidade do Náutico em casa. A última vez que o Timbu foi superado nos Aflitos foi em outubro de 2020, quando recebeu a Ponte Preta e perdeu por 2 a 0. À época, o time era comandado por Gilson Kleina, que ainda fez mais dois jogos no estádio – ou seja, sob Hélio dos Anjos, já são 17 partidas de soberania.

Com o atual treinador, o Náutico soma 12 vitórias e apenas cinco empates nos Aflitos: mais de 80% de aproveitamento dos pontos disputados. Durante a disputa do Campeonato Pernambucano, inclusive, o treinador alvirrubro pontuou a importância dos seus comandados entrarem em campo ‘resguardados’ pela mística do estádio timbu.

“O melhor lugar para o Náutico jogar no Recife é nos Aflitos. Mas com a pandemia e sem a torcida isso não é tão importante. Porque, com a minha torcida lá, nós somos muito mais fortes. E, hoje, por não tê-los há o equilíbrio. Nós não estamos enfrentando uma equipe qualquer. Pelo contrário, é um time que joga no mundo todo, forte, da primeira divisão. Nós gostamos muito de jogar nos Aflitos, vamos buscar o melhor dentro de lá”, disse o treinador.

Do Esportes DP

PUBLICIDADE