Buscando arrecadar fundos para o CT, Santa Cruz inicia venda de água mineral

PUBLICIDADE

Em mais uma tentativa de arrecadar fundos para a construção do Centro de Treinamento Ninho das Cobras, que está sendo levantado num terreno de 10 hectares, na Guabiraba, Zona Norte do Recife, a diretoria do Santa Cruz, após um ano de planejamento e estudo, iniciou mais um projeto de expansão da marca tricolor: a venda de água mineral nas dependências do clube.  

A comercialização de produtos registrados com a insígnia tricolor não é novidade no Arruda. Café, bolo de rolo, cerveja artesanal e até ovos: a comissão patrimonial do Santa Cruz inova na captação de recursos para levantar as estruturas do CT. Além disso, ainda neste ano, o clube pernambucano passou a organizar eventos, como a apresentação do humorista Zé Lezin, que gerou um lucro de R$ 133 mil à Cobra. “A venda destes produtos é de fundamental importância para continuarmos as obras. Sabemos que é um momento de crise e que muitos dos empresários que nos auxiliam estão sofrendo com a recessão”, afirmou João Caixero, presidente da comissão patrimonial tricolor e responsável pela captação ‘alternativa’ de recursos para o CT.  
Iniciada na noite desta terça-feira, a venda de água mineral segue a linha popular, de se aproximar ao torcedor, da essência do clube, mas, ao contrário dos outros produtos vendidos nas dependências corais – Arruda, Centro de Treinamento e lojas oficiais -, será fruto de uma parceria entre a Instituição tricolor e a empresa Santa Teresinha, que tem sede localizada na Guabiraba, mesmo bairro do Ninho das Cobras, e estará presente em toda Região Metropolitana do Recife. De acordo com Caixero, a empresa do ramo de água mineral ficará com 15% dos royalties das vendas e o restante será destinado para o aceleramento da construção do CT – além disso, a recepção do mercado será essencial para a projeção do arrecadamento. 


“Nós fizemos uma parceria com a água mineral Santa Teresinha, que foi autorizada pelo Santa Cruz para utilizar a marca tricolor e ficará responsabilizada pela distribuição em toda a Região Metropolitana, com o controle do clube. Temos o lugar de armazenamento da água e, nas dependências do Santa, também de distribuição, que já começou e cobrirá Recife e Região Metropolitana – ainda recebemos solicitações de cidades do interior, como Vitória e Gravatá”. 


Dentro do terreno de dez hectares onde está sendo construído o CT tricolor, há duas fontes de água mineral. Uma no fim do espaço, em uma parte baixa, e outra ao lado do primeiro campo inaugurado, próximo à entrada. “Diante da pandemia e dos problemas financeiros que estamos passando, não encontramos formas viáveis de explorar a fonte de água do CT. O planejamento começou em 2018, a água é pura, vinda da fonte. Tudo isso surgiu após trabalhos e pesquisas”, disse Caixero, que ainda afirmou estar trabalhando na expansão da marca tricolor em pacotes de batata-frita. 

Por Super Esportes PE

PUBLICIDADE