Técnico Gilmar Dal Pozzo consegue na Justiça sua rescisão de contrato com o Náutico

PUBLICIDADE

A conturbada saída do técnico Gilmar Dal Pozzo do comando da equipe profissional do Náutico ganhou mais um capítulo. Nesta sexta-feira, o treinador conseguiu, via liminar judicial, a sua rescisão de contrato com o Alvirrubro, já devidamente publicada no Boletim Informativo Diario da CBF. Com isso, passa a estar livre no mercado para assinar com qualquer outro clube.

A decisão favorável a Dal Pozzo foi expedida pelo juiz Valter Túlio Amado Ribeiro, da 2ª Vara do Trabalho de Florianópolis. Para o magistrado, a demissão do treinador pelo Náutico foi comprovada por mensagens trocadas por Whatsapp e também por matérias publicadas na mídia. Com isso foi concedida a tutela antecipada, sem a necessidade de se ouvir o Náutico. Ainda de acordo com a liminar, o clube tem até dez dias para dar baixa no contrato de Dal Pozzo, sob pena de multa diária de R$ 500 podendo chegar ao limite de R$ 5 mil.


Em rápido contato com a reportagem, a advogada de Dal Pozzo, Mariju Maciel informou que o próximo passo será cobrar do clube a multa pela quebra unilateral do contrato, no valor de R$ 500 mil. “O juiz decidiu que o Náutico mandou o Gilmar embora. De uma forma muito clara. O Gilmar está livre para assinar com qualquer outro clube”, afirmou.


O Diario também entrou em contato com o vice-presidente jurídico do Náutico, Bruno Becker, que afirmou que o clube foi pego de surpresa com a rescisão de contrato do treinador publicada na CBF. E que vai esperar ser notificado oficialmente pela entidade para decidir qual a atitude a ser tomada. Becker, no entanto, reforçou que o Náutico não demitiu o treinador.
“A gente não foi notificado a respeito disso. Vamos entrar em contato com a CBF para saber baseado em que ele fez essa publicação. De toda forma é estranho porque o contrato dele não está rescindido e mesmo que isso fosse feito ainda estamos no prazo para pagar a rescisão, que são dez dias. Estamos aguardando com muita tranquilidade recebermos essa notificação para poder nos pronunciarmos. Mas uma coisa temos certeza. Vamos até o final para provar que Gilmar não foi demitido”, afirmou.

Do Super Esportes PE

Foto: Aldo Carneiro

PUBLICIDADE