Série B: Náutico fica no 0 a 0 com o Operário/PR

PUBLICIDADE

A primeira partida oficial da história entre Náutico e Operário-PR passou longe de ser um jogo cheio de emoções. Com grande foco na marcação, as equipes ficaram devendo na parte ofensiva e não conseguiram tirar o zero do placar na reestreia do Timbu em sua casa após quase cinco meses sem jogar nos Aflitos devido à paralisação das competições do calendário brasileiro.
Com o resultado, o Náutico segue sem vencer na Série B. Com apenas um ponto conquistado em dois jogos, o Timbu sobe para a 15ª posição na tabela. O próximo compromisso é novamente nos Aflitos, no próximo sábado, às 19h, diante do CRB. Já o Fantasma, segue atuando fora de casa, dessa vez na sexta-feira contra o América-MG. 

O jogo

Com três mudanças em relação ao jogo contra o Avaí, no último sábado, o Náutico demorou um pouco para se encontrar em campo na sua reestreia nos Aflitos, após quase cinco meses. Por isso, o Operário-PR começou o jogo melhor, mas a resposta Timbu foi rápida e a partir dos cinco minutos já conseguiu se impor na partida. 
Apostando em fortes marcações, ambas as equipes abusaram das bolas longas e não tiveram uma grande produção ofensiva na primeira etapa. Assim, insatisfeito com o desempenho ofensivo da equipe, Gilmar Dal Pozzo fez a primeira mudança já com 30 minutos. Sacou Jorge Henrique, que sentiu um problema no joelho, e acionou o atacante Erick, desmontando o esquema com dois meias e colocando o time mais à frente, algo que funcionou e fez com que o time da casa conseguisse pressionar no último terço da primeira etapa.

Segundo Tempo

Preocupado com os dois cartões amarelos dos volantes, o técnico Gilmar Dal Pozzo retornou com mais uma modificação na equipe para o início da segunda etapa. O recém-chegado Matheus Trindade fez sua estreia ao ser acionado na vaga de Djavan. 
Na volta, a postura alvirrubra foi diferente do início da partida. O Náutico passou a ser mais agressivo, especialmente, pelas laterais, com subidas de Hereda pela direita, que quase abriu o placar em chute da linha de fundo, e Erick, pelo lado esquerdo. 
Sem conseguir abrir o placar, o Náutico passou a se expor mais e abrir espaços para o contra-ataque do Operário-PR, que chegava com perigo pela direita, nas bolas alçadas na área pelo lateral Sávio para os atacantes Jefinho e, depois, seu substituto Lucas Batatinha. 
Na reta final do jogo, o Náutico ainda viu o lateral Kevyn, que teve passagem no alvirrubro em 2018, fazer sua reestreia com a camisa do Timbu. Cansado, Jean Carlos também foi sacado para a entrada de Brítez. O Operário, por sua vez, seguiu cadenciando o ritmo da partida no meio-campo, criando as melhores chances, mas sem conseguir tirar o zero do placar. 

Ficha do jogo

Náutico 0 Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro, Camutanga e Erick Daltro (Kevyn); Rhaldney, Djavan (Matheus Trindade), Jean Carlos (Junior Brítez) e Jorge Henrique (Erick); Dadá Belmonte (Bryan) e Kieza. Técnico: Gilmar Dal Pozzo. Operário-PR 0 Rodrigo Viana; Sávio, Rafael Bonfim, Ricardo Silva e Julinho; Mazinho, Tomás Bastos, Thomaz (Jean Carlo) e Marcelo (Schumacher); Douglas Coutinho (Maranhão) e Jefinho (Lucas Batatinha). Técnico: Gerson Gusmão. 
Árbitro: Vinícius Gonçalves Dias Araújo (CBF-SP)Assistentes: Fabrini Beviláqua Costa (FIFA-SP) e Gustavo Rodrigues de Oliveira (CBF-SP)Cartões amarelos: Rhaldney, Djavan, Kevyn, Bryan (Náutico); Marcelo, Schumacher e Tomás Bastos (Operário-PR)

PUBLICIDADE