Santa Cruz luta, mas perde nos pênaltis para Confiança e está eliminado da Copa do NE

PUBLICIDADE

Quando por muitas vezes pesou o cansaço, sobrou raça. Quando faltou técnica, brilhou a estrela de jogadores experientes ou o oportunismo dos mais jovens. Mas não desta vez. Desta vez faltou capricho e o Santa Cruz, mesmo aguerrido, se despediu da Copa do Nordeste.

Diante do Confiança, o Tricolor empatou sem gols no tempo regulamentar, mas sucumbiu ao Dragão nos pênaltis. Inclusive vendo um dos seus principais nomes, o artilheiro Pipico, despediçar uma cobrança, e Patrick Nonato parar nas mãos do goleiro Rafael. Quatro a dois. Uma ducha de água fria para quem estava em franca ascensão.

Agora, a Cobra Coral volta a Recife e se prepara para disputar a semifinal do Campeonato Pernambucano, a ser disputada nesta quarta-feira, diante do vencedor do duelo entre Central e Náutico.

O jogo

Com os retornos do meia Didira e do atacante Victor Rangel, o técnico Itamar Schülle modificou pouco o time titular do Santa Cruz: pôs o armador no ataque e o substituiu por Jeremias. Enquanto Victor Rangel retomou o posto na vaga de Patrick Nonato, que havia jogado a última partida diante do River-PI.

Como de praxe em um jogo de mata-mata, a partida teve um início bastante disputado – sobretudo no meio de campo. Mas sem grandes chances construídas. Porém, forte na marcação e mais veloz que a Cobra Coral na transição, foi o Confiança quem se saiu levemente superior na primeira etapa. Pressionando a saída de bola do Santa Cruz e forçando o erro de passe para ocupar a defesa adversária.

No entanto, apesar de apresentar uma evolução maior de jogo que o do Tricolor, foi o clube pernambucano o dono da melhor chance dos 45 minutos iniciais. E logo com o artilheiro Pipico. Em batida de falta na esquerda, Didira lançou na pequena área e no bate-rebate, Pipico finalizou forte mas a bola resvalou na zaga do Dragão e foi parar na linha de fundo. Resumo de um equilibrado primeiro tempo entre as equipes.

Segundo Tempo

Diferentemente da primeira etapa, o segundo tempo teve muito mais oportunidades de gol – em sua maioria criadas em lances de bola aérea. Logo aos oito minutos, o Santa Cruz levou seu primeiro grande susto. Em cruzamento de Thiago Ennes, Maycon Cleiton saiu mal, Nirley aproveitou o erro e tocou para Reis, que driblou o goleiro coral e finalizou. Mas André, bem postado, impediu o gol do Dragão.

Como resposta, por muito pouco, a Cobra Coral não abriu o placar. E em duas oportunidades. Aos 20 da segunta etapa, Danny Morais desviou de cabeça, a finalização triscou a trave do goleiro Rafael Santos e a zaga do Confiança afastou. Minutos depois, Pipico finalizou de cabeça e a bola bateu na trave mais uma vez. No rebote, Victor Rangel teve a chance de abrir o placar, mas isolou.

Melhor no final do jogo, faltou ao Santa Cruz a tranquilidade para matar o duelo. Contudo, sem alteração no placar, coube às penalidades máximas definir o terceiro semifinalista da Copa do Nordeste. E aí brilhou a estrela – e a sorte – do Dragão, a sensação do Regional deste ano, que viu o artilheiro Pipico e Patrick Nonato desperdiçarem suas cobranças e selarem o adeus coral para a semifinal da Copa do Nordeste.

Ficha do jogo

Confiança 4

Rafael Santos, Thiago Ennes, Nirley (Luan), Matheus Mancini e Djalma Silva; Jefferson Lima, Amaral e Ítalo (Everton); André Moritz (Renan), Ari Moura e Reis. Técnico: Matheus Lima.

Santa Cruz 2

Maycon Cleiton, Toty, Wiliam Alves (Célio Santos), Danny Morais e Fabiano; Jeremias (Patrick Nonato), André (Bileu) e Paulinho; Didira, Victor Rangel (Kleiton) e Pipico. Técnico: Itamar Schülle

Local: Estádio Joia da Princesa

Árbitro: Léo Simão Holanda (CE)

Assistentes: Naílton Júnior (CE) e Renan Aguiar (CE)

Cartões amarelos: Nirley (C)

PUBLICIDADE