Santa Cruz mapeia mercado, mas se vê de mãos atadas para contratar devido à pandemia

PUBLICIDADE

Mesmo vivenciando baque financeiro provocado pela longa paralisação do futebol por conta do coronavírus, o Santa Cruz, apesar de não avançar puramente em negociações para chegada de novos atletas, segue mapeando as possibilidades do mercado.  Foi o que afirmou o técnico tricolor, Itamar Schülle, em entrevista à reportagem do Diario de Pernambuco.  

Mas, no entanto, há um grande entrave nessa situação. Porque se, por um lado, a pandemia oferta jogadores, uma vez liberados de seus clubes para desonerar a folha de pagamento, por outro, impede que algumas equipes, de olho nestes atletas, não possam contratá-los, justamente por que também enfrentam dificuldades financeiras. De acordo com o comandante coral, é este o caso do Santa Cruz.

“A gente sabe que tem vários jogadores saindo de outras equipes também, estamos mapeando eles. Só que não tem hoje como o Santa Cruz contratar. A diretoria está se esforçando para honrar os compromissos que têm com todo o grupo”, declarou.

“Jogadores mapeados nós temos, mas não vejo como contratar. Não vejo essa condição, não me iludo. Não vejo essa possibilidade no momento. É manter o que nós temos, porque não sei se tudo vai voltar como era”, pontuou Itamar Schülle.

Algo, inclusive, já martelado pela própria diretoria do Santa Cruz. Neste momento de grandes dificuldades para cumprir com os compromissos, o objetivo da cúpula tricolor é honrar com o básico: pagamento de funcionários. Cenário que já vem se mostrando difícil nos últimos dias. Tanto que, por exemplo, a remuneração do mês de março – vencida em abril – ainda não foi quitada integralmente.

Vale ressaltar que, quanto à chegada de novos atletas, o Santa Cruz trouxe o paraguaio Derlis Alegre dias antes do início da pandemia se instalar no estado. Com a indefinição de quanto o futebol irá retornar – há mais de dois meses já paralisado -, o atacante, inclusive, sequer fechou contrato com o Tricolor – também não disputou partidas ou treinou com o grupo – e, portanto, só receberá salário quando as atividades forem normalizadas.

DO SUPER ESPORTES PE

PUBLICIDADE